Visualizar:

▼ Postagens (2)
  • Pistolas GLOCK um sinbulo se tratando de pistolas altomaticas e seme

    18

    Abr
    18/04/2011 às 22h35

        PISTOLAS GLOCK. Um ícone no mundo das pistolas semi-automaticas

    <div id="post-body-4937457534829054914">               
        </div><h2> </h2><h3>UM POUCO DE HISTÓRIA
    Em qualquer conversa sobre armas de fogo, quando se discute sobre esta ou aquela pistola, o nome “Glock” sempre aparece, seja essa conversa feita entre leigos ou profissionais de segurança publica. Na verdade o nome Glock é sem duvida nenhuma, o primeiro nome que vem a cabeça quando se pensa em pistolas semi-automaticas nos dias de hoje. Nas próximas linhas vou descrever um pouco desta excelente arma, e desmistificar alguns conceitos que se tem a respeito das pistolas desta séria empresa fabricante de armas.
    A Glock é uma empresa austríaca que iniciou suas atividades em 1963, quando os produtos se limitavam a itens de metalurgia e de plástico como, por exemplo, facas, e coldres que eram fornecidos ao exercito austríaco. Porém em 1980 o exercito austríaco abriu uma concorrência para a aquisição de uma nova pistola de porte para seus militares. Entre os requisitos estavam que essa pistola deveria ser em calibre 9 mm parabellum, ter capacidade para, pelo menos, 8 cartuchos, sem ambidestra, poder ser desmontada sem nenhuma ferramenta, ter menos que 58 peças que poderiam ser trocadas sem maiores ajustes e ainda ser capaz de disparar 10000 tiros apresentando, no maximo, 20 falhas. O exercito da Áustria chamava a pistola desta licitação de “P-80”. O Sr Gaston Glock, proprietário da famosa fabrica, fez uma pesquisa com diversos especialistas do segmento de segurança publica, militares e atiradores civis para coletar informações do que seria a pistola ideal. Após 6 meses, s Sr Glock apresentou sua pistola que deveria ser posta para avaliação do exercito austríaco e verificar se esta preenchia as duras exigências operacionais daquela força. Esta nova pistola foi batizada de Glock 17, o que pode ser chamada de a “mãe” das pistolas Glock.</h3>

     


    Acima: A Glock 25, em calibre 380 ACP é disponivel no comércio brasileiro para civis que queiram adquirir uma pistola moderna para defesa. A Glock testado por mim e meus amigos era deste modelo e a minha recomendação é que se use munição de fabrica e de preferência +P quando se estiver usando esta pistola para defesa pessoal para evitar o risco de falha de alimentação

    <div>FICHA TECNICA
    GLOCK 17/ 22/ 31/ 37


    Calibre: 9 mm Parabellum, 40 S&W (Glock-22), 357 sig (Glock-31) 45 GAP (Glock-37)
    Capacidade: 17 tiros (Glock-17), 15 tiros (Glock-22/ 31), 10 tiros (Glock 37)</div><div>Comprimento do cano: 4,5 pol</div><div>Comprimento total: 186 mm
    Sistema de operação: Blowback com trancamento do ferrolho</div>

    GLOCK 20/ 21

    <div>Calibre: 45 ACP (Glock-21), 10 mm (Glock 20)</div><div>Capacidade: 13 tiros (Glock 21), 15 tiros (Glock-20)</div><div>Comprimento do cano: 4,6 pol</div><div>Comprimento total: 193 mm
    Sistema de operação: Blowback com trancamento do ferrolho</div>

    GLOCK 19/ 23/ 25/ 32/ 38

     

    <div>

    Calibre: 9 mm Parabellum (Glock 19), 40 S&W (Glock 23), 380 ACP (Glock 25), 357 sig (Glock 32), 45 GAP (Glock 38)
    Capacidade: 15 tiros (Glock-19/ 25), 13 tiros (Glock-23/ 32), 8 tiros (Glock 38)</div><div>Comprimento do cano: 4 pol</div><div>Comprimento total: 174 mm
    Sistema de operação: Blowback com trancamento do ferrolho
    </div>

     

    <div>GLOCK 26/ 27/ 28/ 29/ 30/ 33

    Calibre: 9 mm (Glock 26), 40 S&W (Glock 27), 380 ACP (Glock 28), 10 mm (Glock 29), 45 ACP (Glock-30), 357 sig (Glock 33), 45 GAP (Glock 39)
    Capacidade: 10 tiros (Glock 26/ 28/ 29/ 30), 9 tiros (Glock-27/ 33), 6 tiros (Glock 39)</div><div>Comprimento do cano: 3,5 pol</div><div>Comprimento total: 160 mm
    Sistema de operação: Blowback com trancamento do ferrolho</div>

    GLOCK 36


    Calibre: 45 ACP

    <div>Capacidade: 6 tiros.</div><div>Comprimento do cano: 3,78 pol</div><div>Comprimento total: 172 mm
    Sistema de operação: Blowback com trancamento do ferrolho</div>

    GLOCK 34/ 35 Tactical/ Practical


    Calibre: 9 mm Parabellum (Glock 34), 40 S&W (Glock-35)
    Capacidade: 17 tiros (Glock-34), 15 tiros (Glock-35)

    <div>Comprimento do cano: 5,3 pol</div><div>Comprimento total: 207 mm
    Sistema de operação: Blowback com trancamento do ferrolho</div>

    GLOCK 18


    Calibre: 9 mm Parabellum,
    Capacidade: 33 tiros
    Cadencia de tiro: 1200 tiros/ min

    <div>Comprimento do cano: 4,5 pol</div><div>Comprimento total: 186 mm</div><div>Sistema de operação: Blowback com trancamento do ferrolho</div>

                                                                                             

    <div>Acima: Aqui podemos ver uma Glock 22 em calibre 40 S&W com uma lanterna acoplada ao trilho da armação. Esse trilho é uma caracteristica das Glocks mais recentes, pois originalmente não havia esse item.
    DIVERSIDADE DE MODELOS?
    A pergunta acima é bastante valida. A Glock possui hoje exatos 21 modelos de pistolas. Porém todos os modelos são muito parecidos entre si, tendo como maior diferença as dimensões de cano e da armação, para adaptar aos calibres diferentes. Os modelos 17 em 9 mm, 20 em calibre 10 mm, 21 em calibre 45 ACP, 22 em calibre 40 S&W, a Glock 31 em calibre 357 sig e o modelo 37 em calibre 45 GAP são os modelos “standard”, com cano 4,5 polegadas. Os modelos compactos com canos de 4 polegadas são o 19 em calibre 9 mm, o 23 em calibre 40 S&W, o 25 em calibre 380 ACP (disponível para o civil brasileiro), o 32 em calibre 357 sig e o modelo 38 em calibre 45 GAP. Os modelos ultracompactos, cujo cano é de apenas 3,45 polegadas são o 26 em calibre 9 mm, o 27 em calibre 40 S&W, o 28 em calibre 380 ACP( também disponível para o civil brasileiro), o 29 em calibre 10 mm, o 33 em calibre 357 sig, o 39 em calibre 45 GAP. Ainda há um modelo ultracompacto e mais fino que as demais para possibilitar um porte dissimulado maximo que é o modelo 36 em calibre 45 GAP. Para competições de tiro pratico a Glock tem dois modelos que são conhecidos por Glock 34 em calibre 9 mm e o modelo 35 em calibre 40 S&W. Esses modelos de competição são usados para fins táticos também e sua característica principal é um cano mais longo que o modelo standard chegando a um comprimento de 5,3 polegadas.
    Outro modelo especial que ainda não mencionei é a Glock 18, uma pistola com seletor de tiro capaz de disparar até 1200 tiros por minuto. Esse modelo, em calibre 9 mm, usa um carregador especial de 33 tiros. Seu uso é voltado para situações em ambiente fechado e com alvos a curta distancia dada a maior dificuldade de controle da arma durante as rajadas de tiro.</div><div> </div><div>Vlw galera por terem entrado no meu blog meu email é carlos.junior_opo@hotmail.com </div>

      <img class="mceWPmore" title="Mais..." src="http://carlosjunior.vilablog.com/wp-includes/js/tinymce/plugins/wordpress/img/trans.gif" alt="" />

  • Peixe-eletrico matando jacaré

    18

    Abr
    18/04/2011 às 12h51

    Aquele que faz dormir”. Esse é o significado, em tupi, de poraquê, um peixe de pele marrom-escura, quase negra, e olhos pequenos que enxergam pouco. Com dois metros de comprimento e jeitão de cobra, o bicho chega a assustar. O poraquê é um canhão elétrico 55 vezes mais potente do que a bateria de um automóvel. No Mar Mediterrâneo ele é conhecido como torpedo-elétrico e no Oceano Pacífico como torpedo-califórnia.
    A descarga do peixe-elétrico brasileiro pode chegar a 600 volts. É a maior entre as espécies existentes. Ele ganha até para a corrente elétrica que abastece a nossa casa (110 ou 220 volts). A energia elétrica do poraquê tem origem em sua alimentação. Enzimas, sódio e potássio fazem o jogo químico que produz a eletricidade. A concentração maior de energia elétrica no poraquê se deve ao fato da superconcentração de músculos e tecidos elétricos.
    O corpo do peixe-elétrico é quase todo formado pelo órgão elétrico. As células responsáveis pela descarga chamam-se eletrócitos. Num poraquê de 1,20 m, por exemplo, os eletrócitos estão arrumados em série, formando um órgão elétrico de um metro de comprimento. Ele é uma bateria que nada e respira.
    O poder de fogo do poraquê é suficiente para matar peixes e sapos e paralisar um cavalo. Na Amazônia, há quem diga tê-lo visto derrubar frutos de árvores próximas aos igarapés (rios pequenos) após descarregar sobre elas uma rajada elétrica. Felizmente, para quem tropeça nele dentro d’água, um único choque não é suficiente para matar um homem. Apesar de a voltagem ser alta, a intensidade da corrente (amperagem) é baixa.
Home |  Blog Grátis |  Hospedagem HTML Grátis |  Quem somos |  Parceria |  Anuncie |  Ajuda
Trabalhe no XPG |  Política de Privacidade |  Política de Segurança |  Denúncia © 2004-2016 XPG | Siga esta corrente